Quem acompanha o Trainee de Ceo no Twitter, percebeu a minha ansiedade pela edição da Você S/A desse mês. Ela tenta responder algumas questões que sempre rondaram minha cabeça,  principalmente “Por que as empresas exigem tantas qualificações e experiência mesmo para cargos de assistente?”.  A verdade é que, as empresas buscam hoje um profissional que seja o mais completo possível, mas ofertam um salário que não condiz com todas as qualificações buscadas. Você tem que chegar na empresa dando resultados, com uma rica experiência, fluente em inglês e espanhol (quando não uma terceira língua), ter passado por escolas de elite e com experiência no exterior. Ufa! É muita coisa, principalmente para nós da geração Y que estamos no início na carreira.

Isso me lembrou a conversa com a Camila Shibuya (clique para conferir). Para a geração Z a pressão é ainda maior e o conselho foi “tenha uma cabeça legal” buscando uma empresa que condiz com seus desejos profissionais e não apenas uma que te arranje uma vaga, saiba o que quer e principalmente, saiba se relacionar com as pessoas.

Voltando para a reportagem, os programas de trainee, vem crescendo pela necessidade das empresas de moldar os jovens talentos e identificar facilmente aqueles que combinam com a cultura da empresa. Isso dificulta o reposicionamento dos profissionais mais experientes no mercado. Uma pesquisa do Dieese confirma que no Brasil, 90% das vagas criadas pagam até 02 salários mínimos, as empresas estão tentando enxugar o a folha de pagamento e segurar a escala dos salários. Confira os seteores que dão preferência para os jovens e aqueles que tem coo foco os acima da 40. Além disso, vale conferir a Você S/A desse mês.

Imagens: Reprodução e Trainee de Ceo