If the brand has to be dynamic and interect with the consumer, why not bring the store to the client? Pop up stores bring this idea. They are mobile´s stores for a short period to exist and work like a “trial business” to try new concepts and products without big risks for their image or finances.

This market tool is not new, but for 10 years it has been exploited by important brands. They want to innovate their image and increase sales of new ranges and temporary products, like Nike, P&G, Target and Uniqlo.

 

Nike launch new range about soccer (São Paulo – Brazil)

 

P&G´s pop up store gives samples and does makeovers. (Toronto – Canada)

 

Pop up store – Target (NY – EUA)

 

Uniqlo sales clothes in the middle of the street. Uniqlo (Japan)

Se a marca deve ser dinâmica e interagir com o consumidor, por quê não aproximar o ponto de venda ao cliente? Essa é a principal idéia das Pop up stores. Elas são lojas intinerantes que possuem curto prazo de duração, funcionando como “trial” para novos conceitos e produtos sem agregar maiores riscos de imagem ou finaceiros.

Essa ferramenta não é nova mas à 10 anos vem sendo altamente explorada por grandes marcas que pretendem inovar sua imagem e incrementar suas vendas com linhas exclusivas ou temporárias, como Nike, P&G, Target e Uniqlo.

 

Nike lança nova linha sobre futebol (São Paulo - Brasil)

 

A pop up store da P&G dá amostra grátis e faz transformação de visual. (Toronto - Canadá)

 

Pop up store - Target (NY-USA)

 

Uniqlo vende roupas no meio da rua (Japão)

 

Imagens: Reprodução